A vila de Coja desenvolve-se nas margens do Rio Alva, sendo na margem esquerda que se localiza o núcleo mais antigo deste aglomerado, de malha apertada e traçado irregular. A expansão da aldeia deu-se de forma desordenada e expansiva ao longo dos principais eixos viários, a EN 342 e a EN 344, e na margem direita do Rio Alva. No ano de 2011, Coja contava com 1040 habitantes e com 395 edifícios, a maioria dos quais residenciais com 1 ou 2 pisos.

A ARU – Coja reúne a zona onde se concentra o edificado mais antigo, a principal unidade de comércio tradicional e de serviços, e os principais espaços e equipamentos públicos, a necessitar de uma intervenção integrada. Para além do núcleo primitivo da vila, a ARU abrange também as suas principais zonas de expansão em ambas as margens do Rio Alva, perfazendo uma área com cerca de 131ha.

Delimitação e enquadramento geográfico

A área de intervenção delimitada compreende a totalidade da área urbana Coja, sede da União de Freguesia de Coja e Barril de Alva, do concelho de Arganil.

O processo de delimitação da ARU baseou-se numa análise detalhada ao edificado e ao seu estado de conservação, ao património cultural imóvel e outros edifícios de interesse relevante para a freguesia e ao tecido social e económico. Esta análise permitiu perceber as fragilidades e potencialidades deste núcleo urbano e delimitar a área que carece de uma intervenção mais urgente, cuja intervenção trará benefícios para todo o centro urbano.

Desta forma, a área delimitada reúne a zona onde se concentra o edificado mais antigo, a principal unidade de comércio tradicional e de serviços, e os principais espaços e equipamentos públicos, a necessitar de uma intervenção integrada.

Para além do núcleo primitivo da vila, a ARU abrange também as suas principais zonas de expansão em ambas as margens do Rio Alva. Assim, está também inserida na ARU a quase totalidade da margem direita do ria e na margem esquerda são abrangidas as antigas cerâmicas da Carriça e Progresso, assim como as edificações contiguas e as ruas do Outeiro, da Gândara e Dr. Egas Fafes e da Estrada Nacional 344.

Um fator determinante na delimitação da ARU de Coja foi a importância que o Rio alva tem para esta vila e que a vila tem para as suas margens. Assim a área delimitada abrange as duas margens do rio de forma a assegurar a conservação, requalificação e por fim a valorização da própria paisagem urbana, que se trata de um grande potencial desta vila.

Objetivos estratégicos a prosseguir

A proposta de delimitação da ARU da vila de Coja tem como fundamento os seguintes objetivos estratégicos:

  1. Promover a reabilitação urbana de forma a valorizar o núcleo histórico da Vila de Coja, e a melhorar a qualidade de vida das pessoas que habitam e visitam este centro urbano.
  2. Criar condições que incentivem o investimento de iniciativa privada na reabilitação do edificado do núcleo histórico da Vila de Coja.
  3. Potenciar novos investimentos que, de forma sustentável, promovam as sinergias necessárias, tendo em vista a melhoria da qualidade de vida dos munícipes e a dinamização das atividades económicas, das quais se destaca o turismo.
  4. Promover a reabilitação do património edificado.
  5. Valorizar a paisagem urbana.

O turismo é uma atividade económica bastante importante para Coja, que tem uma paisagem urbana singular e com bastante potencial como recurso turístico. A reabilitação urbana é assim fundamental para a valorização da paisagem urbana formada pelo conjunto urbano e pelo Rio Alva.

© Copyright Município de Arganil. Todos os direitos reservados. | Desenvolvido por Município de Arganil em parceria com a ADSI